20.2.05

Pré-projeto pronto

Antes do que eu esperava (e de acordo com o que desejava) fechei o pré-projeto, que reproduzo abaixo:

INSTITUIÇÃO: Faculdade Cásper Líbero

CURSO: Comunicação Social - Habilitação: Jornalismo

TÍTULO DO PROJETO: Jogo de Carta

SUBTÍTULO:
Os bastidores do Jornal da República

NOME DO ALUNO:
Jonas Gonçalves

TURMA:
4º JO D

PERÍODO:
Noturno

PROFESSOR-ORIENTADOR:
Celso Dario Unzelte


DELIMITAÇÃO DO ASSUNTO


O objetivo deste livro-reportagem é contar com detalhes a trajetória do Jornal da República, publicação diária paulistana que circulou entre agosto de 1979 e janeiro de 1980.
Em termos de historiografia da imprensa brasileira, muito pouco se falou do Jornal da República se comparado às pesquisas realizadas tendo como objeto de estudo outros veículos de comunicação da mesma época, ou mesmo anteriores e posteriores. Visto que se trata de um jornal que tinha em sua equipe jornalistas consagrados (desde Mino Carta, o criador, até Clóvis Rossi, passando por Cláudio Abramo, Ricardo Kotscho e outros) e que fazia parte de um contexto social, político e econômico gerador de muitas notícias diariamente, é de se estranhar tal ausência de estudos mais aprofundados, mesmo se levando em consideração o curto período de existência da publicação (dois meses de preparação para entrar em circulação mais cinco meses de publicação, totalizando sete meses ou pouco mais de meio ano).
Apenas dois trabalhos tiveram como objeto de estudo o Jornal da República. No primeiro, a jornalista Vera Lúcia Rodrigues, em tese de mestrado pela USP escrita em 1988 e editada em livro em 2004, estuda o jornal como empresa no contexto capitalista. A ênfase do trabalho é demonstrar que a publicação não conseguiu se manter independente como pretendia, já que foi vítima da dependência econômica. O segundo, um Projeto Experimental da Faculdade Cásper Líbero escrito em 2000 por Candice Quinelato Baptista, Fernanda Helena Costa Kanawati e Viviane Akemi Uemura, tem como foco demarcar a posição editorial do Jornal da República diante das outras publicações existentes naquele período. Ao estudar o jornal, as autoras realizaram levantamentos estatísticos para demonstrar as similaridades e as diferenças com outros jornais diários.
O presente trabalho se dispõe a adotar uma linha diferenciada dos acima mencionados. Adotando uma linguagem inspirada no modelo do “new journalism”, serão contadas histórias que ainda não foram documentadas e personagens que não foram ouvidos, visto que se deu maior importância a apenas alguns, como Mino Carta e Armando Vasconcellos Salem, que formavam o conselho diretivo do jornal.
Portanto, existe espaço para um livro-reportagem que aborde as questões envolvendo o processo que levou à criação do jornal, o ambiente e as pessoas que trabalharam na redação, um enfoque sobre a linha editorial e a cobertura jornalística, o trabalho e o relacionamento entre repórteres e editores, as decisões envolvendo os rumos do jornal como empresa e todo o processo que o levou à extinção. Esses fatores são de fundamental importância, fazendo parte de um capítulo destacado da história da imprensa no Brasil do final da década de 1970.
O eixo da narrativa será formado pelos depoimentos dados por todos os envolvidos direta ou indiretamente com o Jornal da República que forem entrevistados e/ou pesquisados, entre jornalistas que participaram da publicação, outros que vivenciaram o período, além de leitores do jornal. Também é importante ressaltar que serão ouvidos desde os “notáveis” (a exemplo de Mino Carta) até outros que trabalharam no Jornal da República mesmo sendo apenas colaboradores eventuais. Será realizado um extenso cruzamento de informações que visa a esclarecer todos os acontecimentos relacionados ao periódico.


PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS E TÉCNICOS

O trabalho de elaboração deste livro-reportagem consiste nas seguintes etapas:

1) Pesquisa nos arquivos do jornal;

2) Coleta de informações sobre o jornal através de livros, revistas e pesquisa via Internet;

3) Coleta de informações por meio de livros, sites e revistas sobre as pessoas envolvidas com a publicação;

4) Compilação de todos os dados reunidos;

5) Entrevistas com as pessoas ligadas, direta ou indiretamente, ao Jornal da República: Mino Carta (editor-chefe), Armando Vasconcellos Salem (diretor comercial), Tão Gomes Pinto (articulista e membro do Conselho de Direção), Nirlando Beirão (editor de Cultura e Esporte e depois membro do Conselho de Direção), Humberto Werneck (sub-editor e depois editor de Cultura e Esporte), Roberto Pompeu de Toledo (editor de Internacional), Ricardo Kotscho (repórter), Clóvis Rossi (editor de Geral e depois repórter), Paulo Markun (repórter e depois editor de Geral), Hélio de Almeida (diretor de arte e membro do Conselho de Direção), entre outros;

6) Elaboração e entrega do livro em duas partes;

7) Apresentação do produto final perante a banca examinadora.


CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

1) De maio de 2004 a junho de 2005: pesquisa nos arquivos do jornal;

2) De maio de 2004 a junho de 2005: pesquisa sobre o jornal;

3) De maio de 2004 a junho de 2005: pesquisa sobre os envolvidos, direta ou indiretamente, com o jornal;

4) De junho a outubro de 2005: compilação das informações;

5) De setembro de 2004 a outubro de 2005: entrevistas;

6) De fevereiro a outubro de 2005: elaboração do livro (entrega da 1ª parte: junho de 2005; entrega da 2ª parte: outubro de 2005);

7) Novembro de 2005: apresentação perante a banca examinadora.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Os livros abaixo listadas servirão não só como referência sobre o Jornal da República e seu respectivo contexto histórico, mas também como fundamentação teórica para o exercício da reportagem.

LIVROS

- ABRAMO, Cláudio. A Regra do Jogo – O jornalista e a ética do marceneiro. São Paulo, Companhia das Letras, 1988.

- BALZAC, Honoré de. Ilusões Perdidas. São Paulo, Companhia das Letras, 2002.

- BAPTISTA, Candice Quinelato; KANAWATI, Fernanda Helena Costa & UEMURA, Viviane Akemi. Românticos e Otimistas – A aventura do Jornal da República. São Paulo, Faculdade Cásper Líbero, 2000.

- BARDAWIL, José Carlos. O repórter e o poder (uma autobiografia) - Entrevista a Luciano Suassuna. São Paulo, Alegro, 1999.

- CAMPOS Jr., Celso de; MOREIRA, Denis; LEPIANI, Giancarlo & LIMA, Maik Rene. Nada Mais que a Verdade - A extraordinária história do jornal Notícias Populares. São Paulo, Carrenho, 2002.

- CARTA, Gianni. Velho Novo Jornalismo. São Paulo, Códex, 2003.

- CARTA, Mino. A Sombra do Silêncio. São Paulo, Francis, 2003.

- CARTA, Mino. O Castelo de Âmbar. São Paulo, Record, 2000.

- CONTI, Mario Sergio. Notícias do Planalto – A imprensa e Fernando Collor. São Paulo, Companhia das Letras, 1999.

- GASPARI, Elio. A Ditadura Derrotada. São Paulo, Companhia das Letras, 2003.

- GASPARI, Elio. A Ditadura Encurralada. São Paulo, Companhia das Letras, 2004.

- MARKUN, Paulo. O Sapo e o Príncipe. São Paulo, Objetiva, 2004.

- MARQUES NETO, José Castilho. Mário Pedrosa e o Brasil. São Paulo, Fundação Perseu Abramo, 2001.

- RODRIGUES, Vera Lúcia. Dependência ou Morte: A Questão da Independência na Imprensa - O Caso República. São Paulo, Germinal, 2004.

- ROXO DA SILVA, Marco Antônio. Os Jornalistas e a sua Greve: Consciência de Classe e Debate Político. Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, 2004.

- SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. São Paulo, Mauad, 1999.

- TALESE, Gay. Fama e anonimato. São Paulo, Companhia das Letras, 2004.

- TALESE, Gay. O reino e o poder – Uma breve história do The New York Times. São Paulo, Companhia das Letras, 2000.

PERIÓDICOS

- Jornal da República, edições 1 a 124, 27/08/1979 a 22/01/1980.
- IstoÉ, edição de 29/08/1979.
- Veja, edição de 12/01/2000.
- CartaCapital, edição de 01/09/2004.

SITES

- www.jornaldarepublica.com
- www.observatoriodaimprensa.com.br
- www.emcrise.com.br
- www.sjsp.org.br
- www.facasper.com.br